Aldeia Velha

Também conhecido como Quartéis, este pequeno povoado está localizado aos pés da Serra do Mar, é cercado por fazendas de gado e áreas de preservação ambiental da Mata Atlântica, sendo considerado o principal território de proteção dos ameaçados mico-leões-dourados. Possui infraestrutura bem rudimentar, com uma única rua com pequeno comércio. Mas justamente por essa rusticidade, a vila é procurada pelos amantes do camping. Pelas redondezas, é possível tomar banho de rio e, distante 4km do centro, fica a cachoeira das Andorinhas, bastante procurada para a prática de rapel e frequentada pelos corajosos que adoram pular das pedras em seu poço. A mesma estrada que leva à cachoeira é muito procurada por praticantes de trekking (três horas de caminhada até o topo da serra), motocross e jipeiros. Subindo por ela, é possível chegar à Toca da Onça e ao Encontro dos Rios, na região de Lumiar.

Está localizado aos pés da Serra do Mar, é cercado por fazendas de gado e áreas de preservação ambiental da Mata Atlântica, sendo considerado o principal território de proteção dos ameaçados mico-leões-dourados.
Possui infraestrutura bem rudimentar, com uma única rua com pequeno comércio.
Mas justamente por essa rusticidade, a vila é procurada pelos amantes do camping.
Pelas redondezas, é possível tomar banho de rio e, distante 4km do centro, fica a cachoeira das Andorinhas, bastante procurada para a prática de rapel e frequentada pelos corajosos que adoram pular das pedras em seu poço. A mesma estrada que leva à cachoeira é muito procurada por praticantes de trekking (três horas de caminhada até o topo da serra), motocross e jeepeiros. Subindo por ela, é possível chegar à Toca da Onça e ao Encontro dos Rios, na região de Lumiar.


Lumiar

Lumiar é um distrito da cidade de Nova Friburgo, famosa por suas confecções de roupas íntimas, distante pouco mais de 150 km do Rio. Ela tem um aspecto mais urbano, com comércio e serviços de cidade pequena, e pode ser considerada o centro de uma região que conta ainda com as vilas de São Pedro da Serra e Boa Esperança. O acesso é fácil por estrada pavimentada e transporte público. As principais atrações são as cachoeiras Indiana Jones e São José e os poços: Feio, Verde e Toca da Onça. Descendo pela estrada Serra-Mar, chega-se ao Encontro dos Rios, ponto de prática de rafting. À noite, os bares mais movimentados são os de São Pedro, 6 km estrada acima.


 

Maromba

Subindo a serra, ainda ao sul do estado, a vila de Maromba compõe, com sua vila “irmã” Maringá, uma microrregião repleta de Mata Atlântica no Parque Nacional do Itatiaia. As duas vilas são cortadas pelo rio Maromba, que divide os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais e três cidades: Itatiaia e Resende pelo lado fluminense, e Bocaina de Minas, pelo mineiro. Enquanto Maringá possui uma infraestrutura turística mais sofisticada, com lojas, restaurantes e pousadas, Maromba é mais roots e é onde está localizada a maioria dos campings da região.Subindo a serra, ainda ao sul do estado, a vila de Maromba compõe, com sua vila


Praia do Sono

Acampar com paz e tranquilidade. Cercada por montanhas de mata virgem, o sol demora a aparecer de manhã e se põe cedo à tarde, proporcionando muitas horas de sono. Porém, para chegar neste pequeno paraíso, é preciso certo esforço: uma trilha de cerca de uma hora de caminhada. A Praia do Sono é uma joia encravada na Mata Atlântica e está dentro da Área de Proteção Ambiental do Cairuçú, cerca de 25km de Paraty. Rústica ao extremo, não há comércio nem estrutura turística regular, apenas moradores nativos, os caiçaras, que oferecem alimentação e seus quintais para armar a barraca. Não há só o mar para curtir. No meio da praia há uma trilha que leva a piscinas naturais de água doce formadas por um córrego, onde também há uma cachoeira. No canto da praia, uma trilha de dificuldade extrema leva a duas outras praias, Antigos e Antiguinhos, essas, sim, completamente selvagens.

Acampar com paz e tranquilidade. Cercada por montanhas de mata virgem, o sol demora a aparecer de manhã e se põe cedo à tarde, proporcionando muitas horas de sono. Porém, para chegar neste pequeno paraíso, é preciso certo esforço: uma trilha de cerca de uma hora de caminhada. A Praia do Sono é uma joia encravada na Mata Atlântica e está dentro da Área de Proteção Ambiental do Cairuçú, cerca de 25km de Paraty. Rústica ao extremo, não há comércio nem estrutura turística regular, apenas moradores nativos, os caiçaras, que oferecem alimentação e seus quintais para armar a barraca. Não há só o mar para curtir. No meio da praia há uma trilha que leva a piscinas naturais de água doce formadas por um córrego, onde também há uma cachoeira. No canto da praia, uma trilha de dificuldade extrema leva a duas outras praias, Antigos e Antiguinhos, essas, sim, completamente selvagens.


Trindade

vila oferece diversas opções de praias: Brava, do Meio, dos Ranchos, entre outras. A Piscina Natural do Cachadaço é ponto obrigatório de mergulho para iniciantes. Para quem gosta de cachoeiras, a oferta também é variada. E há ainda a famosa “pedra de engole”: um “buraco” entre as pedras pelo qual passa o curso d’água, onde o aventureiro mergulha para emergir do outro lado.

A vila oferece diversas opções de praias: Brava, do Meio, dos Ranchos, entre outras. A Piscina Natural do Cachadaço é ponto obrigatório de mergulho para iniciantes. Para quem gosta de cachoeiras, a oferta também é variada. E há ainda a famosa “pedra que engole”: um “buraco” entre as pedras pelo qual passa o curso d’água, onde o aventureiro mergulha para emergir do outro lado.


Sana

O Sana é uma área de proteção ambiental e, por isso, há certas regras para visitar suas inúmeras cachoeiras e só é permitido acampar nos campings legalizados. Opções não faltam, tanto perto da praça principal quanto em ruas e estradas mais afastadas. Com a orientação de um guia, é possível visitar o pico Peito do Pombo, principal ponto turístico da região. A cultura do Sana também se destaca. Na praça, aos fins de semana, funciona uma feira de arte e artesanato com o melhor da produção local. E na área da música, vem de lá uma das bandas mais cultuadas no meio “roots”: Raiz do Sana.

O Sana é uma área de proteção ambiental e, por isso, há certas regras para visitar suas inúmeras cachoeiras e só é permitido acampar nos campings legalizados. Opções não faltam, tanto perto da praça principal quanto em ruas e estradas mais afastadas. Com a orientação de um guia, é possível visitar o pico Peito do Pombo, principal ponto turístico da região. A cultura do Sana também se destaca. Na praça, aos fins de semana, funciona uma feira de arte e artesanato com o melhor da produção local. E na área da música, vem de lá uma das bandas mais cultuadas no meio “roots”: Raiz do Sana.


Saquarema

Saquarema é de longe a maior e mais famosa cidade. Desbravada nos anos 1970, a cidade é mundialmente conhecida pela qualidade de suas ondas, tornando-a um paraíso para surfistas. Porém, apesar de ser uma cidade relativamente movimentada, ainda hoje não perdeu ares de cidade pequena, sendo frequentada por todas as tribos. O pico do surfe é a praia de Itaúna, onde, de vez em quando, ocorrem competições de nível internacional. Mesmo nos dias de mar baixo, vale a pena ficar por ali até o sol se pôr. À noite a igreja da cidade, em cima de uma pedra à beira-mar, fica completamente iluminada, tornando-se um verdadeiro cartão-postal.

Saquarema é de longe a maior e mais famosa cidade. Desbravada nos anos 1970, a cidade é mundialmente conhecida pela qualidade de suas ondas, tornando-a um paraíso para surfistas. Porém, apesar de ser uma cidade relativamente movimentada, ainda hoje não perdeu ares de cidade pequena, sendo frequentada por todas as tribos. O pico do surfe é a praia de Itaúna, onde, de vez em quando, ocorrem competições de nível internacional. Mesmo nos dias de mar baixo, vale a pena ficar por ali até o sol se pôr. À noite a igreja da cidade, em cima de uma pedra à beira-mar, fica completamente iluminada, tornando-se um verdadeiro cartão-postal.


Ilha Grande

Durante muitas décadas, este paraíso permaneceu intocado. Até que, nos anos 1990, após a desativação e implosão do famigerado Presídio da Ilha Grande, suas diversas trilhas e praias foram desbravadas. A porta de entrada da Ilha Grande é a Vila do Abraão, onde está localizado o principal cais de atracação das Barcas que fazem a travessia a partir das cidades de Mangaratiba e Angra do Reis, além das diversas embarcações que servem ao turismo. É no Abrão que pode ser encontrada a maioria dos campings da ilha, assim como serviços básicos de comércio e infraestrutura. Também é possível encontrar campings nas praias de Palmas, Parnaioca e Aventureiro. Uma informação importante: visando a preservação do meio ambiente, é proibido acampar fora dos campings devidamente legalizados.

Durante muitas décadas, este paraíso permaneceu intocado. Até que, nos anos 1990, após a desativação e implosão do famigerado Presídio da Ilha Grande, suas diversas trilhas e praias foram desbravadas. A porta de entrada da Ilha Grande é a Vila do Abraão, onde está localizado o principal cais de atracação das Barcas que fazem a travessia a partir das cidades de Mangaratiba e Angra do Reis, além das diversas embarcações que servem ao turismo. É no Abrão que pode ser encontrada a maioria dos campings da ilha, assim como serviços básicos de comércio e infraestrutura. Também é possível encontrar campings nas praias de Palmas, Parnaioca e Aventureiro. Uma informação importante: visando a preservação do meio ambiente, é proibido acampar fora dos campings devidamente legalizados.

Sobre o autor

Alan Luz

Uma pessoa de bem com a vida, que ama a natureza e todos os seus elementos. AMO viajar e conhecer pessoas. Eu sou aquele cara que voc?? pode contar, a toda hora e todo momento. Vamos com a TRIPEI!